Conheça as Bancas do Mercado

A cada edição do Jornal do Mercado estará apresentando as bancas do Mercado Público e um pouco das suas histórias, assim como os seus produtos e serviços oferecidos. Confira as desta edição.

 

PASTELARIA NOVA VIDA – LOJA 83

A loja antes pertencia a um japonês e só vendia pastéis, informa Rodrigo Tomasel, que assumiu o ponto em 2000. Começou a trabalhar só com pastel inicialmente, seguindo a tradição da banca. Mas, aos poucos foi passando para o almoço e investindo no happy-hour, inclusive com chope, ao mesmo tempo em que está diversificando a linha de pastéis. “O mais vendido é o de carne, mas a gente também tem um destaque, que saiu inclusive na Veja/Porto Alegre que é o pastel de queijo com tomate e orégano”, diz Rodrigo. Ele informa que esse é um dos preferidos de uma das mais ilustres clientes da pastelaria, a primeira-dama Isabela Fogaça, para quem é feito um serviço de tele entrega na Prefeitura de Porto Alegre. Rodrigo também serve almoço, grelhados, a lá minuta e prato do dia. O happy-hour nesta simpática pastelaria vai até às 21 horas, com drinques, chope e petiscos, com atendimento de cinco pessoas, sob o comando atento de Rodrigo.

SERVIÇO:

CARTÃO DE CRÉDITO: VISA E MASTERCARD, REDESHOP

F (51) 3212.6990 – 8182.3276

 

PEIXARIA RAINHA DO MAR – BANCA 3

Em tempos anteriores as peixarias do Mercado Público eram individuais, cerca de 10 bancas, aproximadamente, que formavam uma área que era chamada de “Coréia”. A peixaria Rainha do Mar teve origem exatamente aí. Começou com 10 sócios, há seis anos, sempre no mesmo lugar. Os sócios fizeram uma cooperativa, que acabou se dissolvendo, conta Carlos Roberto Ferreira da Silva, filho de um dos sócios, Paulo Nunes da Silva. Restaram cinco sócios, que então criaram a banca Rainha do Mar. O outro sócio é Cláudio da Silva Azevedo. “A banca trabalha somente com peixe fresco, sem congelados, frutos do mar e também com todo o tipo de filé pronto”, informa Carlos Roberto, satisfeito com o aumento gradativo do consumo do peixe. Para ele a campanha nacional, promovida pelo governo federal para incentivar a população a comer mais peixe, foi excelente. Uma outra boa notícia para os que gostam de peixes e frutos do mar é que poderá acontecer mensalmente a Semana do Peixe. Ele conclui informando que os peixes mais procurados pelos clientes na banca, atendida por oito funcionários, são corvina, tainha, filé de anjo e pescada.

SERVIÇO:

 TELE-ENTREGA: F (51) 3224.9153

CHEQUE E DINHEIRO

 

BANCA 38

A Banca 38 começou em 1954 com João Gabardo, que abriu a Gabardo & Filhos Ltda. Ocupava um módulo e era ao estilo mais popular da época, de “secos e molhados”. Feijão, farinha, lingüiça, óleos. O negócio evoluiu e em 1962 passou a ser a Gabardo & Cia. Ltda, funcionando como um minimercado. Com a reforma do Mercado Público tudo mudou, como informa Lurdino Gabardo, proprietário, junto com o seu irmão Orestes Gabardo: “Perdemos área, principalmente o depósito, e aí ficou inviável continuar o negócio como era antes” A partir de uma pesquisa pelos Gabardo se constatou que no centro da cidade não havia nenhuma casa especializada em bebidas. A única referência era o antigo Armazém Riograndense, tradicional casa deste segmento, que já havia fechado suas portas. Então, os irmãos Gabardo partiram para o Armazém 38 Ltda, a conhecida Banca 38, único ponto especializado em bebidas no Mercado Público, e no centro da cidade. Lá se encontra uma grande variedade de vinhos nacionais e estrangeiros, além de destilados. “A idéia é prestigiar e incentivar a produção vinícola gaúcha, principalmente dos pequenos produtores que produzem vinhos de qualidade”, informa Lurdino. Ele afirma que a cultura do vinho vem aumentando, atingindo os públicos feminino e masculino. “É meio a meio, as mulheres não ficam para trás”, diz. Aumento este que, na sua avaliação veio com os médicos, que recomendam uma taça de vinho diariamente o que, segundo eles, faz bem para a saúde.

SERVIÇO:

F: (51) 3224.4548 – FAX (51) 3228.3488

SERVIÇO DE TELE-ENTREGA

CARTÕES DE CRÉDITO: AMERICAN EXPRESS, VISA, MASTERCARD, CREDICARD E BANRISUL

HORÁRIO: SEGUNDA À SEXTA DAS 8H ÀS 19H – SÁBADO DAS 8 ÀS 18H

 

BAR, CAFÉ E RESTAURANTE ESPORTE – LOJA 115

Conta Delmiro Amorin Gomes Pires que tudo começou em 1968, quando o pai dele comprou a loja número 55, que fica do lado do Mercado que faz frente com a hoje Estação do Trensurb. Lá a banca funcionou até a primeira reforma do Mercado quando alguns bares foram relocados. Delmiro assumiu o bar em 1992. “A gente mantém os mesmo pratos e atendimento. O bar funciona exatamente como era do outro lado: almoço comida caseira, mocotó, carreteiro e algumas variações”. O público, informa ele, é a classe média baixa. O almoço principal é o chamado “prato operário” – arroz, feijão, massa, salada, carne de panela. Diz Delmiro, “A gente atende realmente o povão. Por isto tinha o medo que a reforma deixasse o Mercado elitizado”. A realidade diária do Largo Glenio Peres? Diz que é tranquilo e que, às vezes, é preciso “travar” um pouco a bebida, mas em geral a população respeita. Em bom português: é preciso jogo de cintura. Aliás, Delmiro diz que nos anos 60 a situação era ainda pior, por incrível que pareça. Ele conta: “O entorno já foi muito pior. Antes atacavam de faca, revólver, batiam carreira. O porto era aberto, vinha muito vagabundo. Eu mesmo cheguei a ver meu pai ameaçado de revólver. Só que na época o marginal tinha mais ética”, conclui.

SERVIÇO:

OBS. HORÁRIO: 6.30H ÀS 23.00 – É UM DOS POUCOS BARES QUE FICA ABERTO ATÉ MAIS TARDE NA PARTE EXTERNA DO MERCADO, O QUE LEVA O LUGAR A TER UMA PEQUENA TRADIÇÃO DE BOEMIA.

 

 

COMENTÁRIOS