Começou o ano cervejeiro

Conforme o prometido, complemento o quadro da edição anterior com as vencedoras de 2016. BINGO! Mais uma vez os gaúchos comandaram a cena. A Cerveja do Ano foi rebatizada para “Best of Show” (em duas categorias: experimental e comercial) e levou a Cervejaria Maniba, de Novo Hamburgo, ao ponto mais alto do pódio. Além do bicampeonato da Tupiniquim, o segundo lugar em Cervejaria do Ano foi para a Heilige, de Santa Cruz do Sul. A paranaense Bodebrown, campeã em 2013 e 2014, foi a terceira.

 

BURGOMESTRE, por Sady Homrich

ANO CERVEJA DO ANO CERVEJARIA DO ANO
2013 Wäls Pilsen (MG) – 5,0% alc Bodebrown (Curitiba/PR)
2014 Amazon Stout Açaí (PA) – 7,2% alc Bodebrown (Curitiba/PR)
2015 Seasons BasiliCow (RS) – 5,0% alc Tupiniquim (Porto Alegre/RS)
2016 Maniba Red Meth (RS) – 6,7% alc Tupiniquim (Porto Alegre/RS)

 

A 2ª e 3ª melhores cervejas foram, respectivamente, a Araucária RedCor Ryequeoparta (5,2% alc), de Maringá/PR, e Urwald Dortmunder Export (5,0% alc) , de São Vendelino/RS.

Houve uma nova categoria criada este ano, para cervejas que levam ingredientes ou usam técnicas nacionais. A melhor Cerveja Brasileira teve em 1º lugar a Ópera Seven´r Inn, de Araraquara/SP (categoria experimental),  2º para Amazon Forest Bacuri (3,8% alc) e 3º para  Amazon Red Ale Priprioca (6,0% alc), de Belém/PA (categoria comercial).

Sei, fora o estilo Pilsen, vencedor em 2013, muitas pessoas que gostam de cerveja não tem afinidade com tantas outras categorias. A Amazon Stout Açaí foi premiada como Sweet Stout, estilo de origem britânica que se caracteriza por sabores pungentes de malte torrado, sem muito amargor. A adição da fruta amazônica açaí destacou notas terrosas que agradaram os jurados estrangeiros.

A BasiliCow foi concebida pela Carol, da Seasons, e é uma cerveja leve com adição de especiarias. Nesse caso, o manjericão fresco definiu o estilo Spice/Herb Beer e tem como base uma Belgian Witbier, na qual foi usada manjericão fresco.

Já a Red Meth da Maniba é uma leitura gaúcha do estilo produzido tradicionalmente no norte da Bélgica, categoria Belgian-Style Flanders Oud Bruin or Oud Red Ale, que se caracteriza por sofrer uma fermentação mista, com fermento Ale, bactérias láticas e leveduras selvagens, conferindo notável acidez, com maturação em barril de madeira por oito meses.

A RedCor é uma cerveja em que o centeio (rye) é agregado ao malte de cevada, trazendo cremosidade a essa IPA que ganhou ouro em 2015 e 2016. As paraenses da Amazon investem em estilos conhecidos que exalam aroma e sabor de frutas e raízes exóticas da região norte.

As 226 medalhas conquistadas pelas cervejarias – sendo 79 gaúchas! – são um indicativo do que está acontecendo e apontam para o futuro da cerveja no Brasil. O prêmio não é o principal objetivo de quem fabrica cerveja, mas que ajuda a vender, ajuda!

Abraço do burgomestre,

SADY HOMRICH

Que a fonte nuuuunca seque!!!

COMENTÁRIOS