Coleção Porto Alegre Centro Histórico, redesenhando o patrimônio cultural da região

Dando continuidade ao Projeto Leve a Minha Cidade — Perceba/Proteja/Preserve, lançado em 2016 com as coleções “Porto Alegre”, “Expressões daqui” e “Pelotas”, o artista Leandro Selister lançou a nova coletânea de desenhos a bordo do barco Cisne Branco em março deste ano, mês em que a embarcação completou 40 anos e no aniversário da cidade. Chamada “Porto Alegre Centro Histórico”, a nova coleção foi viabilizada com o apoio de Cisne Branco, Kleber Sobrinho, empresário do setor imobiliário, Claudia Barroso, da Nomedeiro Expressão & Relacionamento, e do próprio escritório de Selister.

 

 

CENTRO HISTÓRICO, por Emílio Chagas

São oito desenhos trazendo símbolos da região central da cidade: o próprio barco Cisne Branco, o viaduto Otávio Rocha, o Chalé da Praça XV, a Cinemateca Capitólio, o Museu Júlio de Castilhos, a Biblioteca Pública do RS, o Mercado Público e a Confeitaria Rocco. “O objetivo do projeto é despertar nas pessoas o interesse em cuidar da cidade. Por isso as três palavras — perceba, proteja e preserve. Sou apaixonado por Porto Alegre, cidade onde moro há 34 anos. O foco foi valorizar e trabalhar a questão do Centro Histórico, com um olhar amoroso sobre a cidade”, diz ele. Selister escolhe alguns prédios que irão integrar a sua coleção, buscando valorizar e despertar o interesse sobre eles: “A Biblioteca Pública, por exemplo, tem gente que nunca foi lá, no Salão Mourisco, e não sabe o tesouro que tem dentro daquele prédio.

Então esse pode ser um caminho para estimular o olhar, visitar e até se engajar”.  Quando soube que na coleção constava um desenho do Cisne Branco, Adriane Hilbig, proprietária do barco, fez questão de que o lançamento fosse nele — o que aconteceu num belo fim de tarde, seguido de um passeio pelas águas do Guaíba. “O Cisne Branco tem o poder de mostrar uma vista diferente de Porto Alegre, de apreciar a cidade com este olhar afetivo e enxergar a beleza que tem nela. Quando a gente se conheceu e ele falou do projeto, logo nos identificamos muito, justamente no sentido de estar apaixonado por aquilo que fazemos, de poder mostrar e propagar isso”, diz Adriane.

 

Adriane Hilbig, do Cisne Branco e Leandro Selister, artista. Lançamento da Coleção Leve a Minha Cidade Centro Histórico

Adriane Hilbig, do Cisne Branco e Leandro Selister, o artista. Foto: Emilio Chagas

Um resgate da autoestima do Centro Histórico

Para ela, o Centro Histórico está precisando de um olhar “bem amoroso, que alguém faça alguma coisa por ele. E essa é uma das formas. Vamos valorizar, preservar e perceber a beleza que temos: os prédios históricos”. Adriane afirma que Cisne Branco tem uma relação de simbiose com o Centro Histórico há 40 anos: “Viemos para o Cais do Porto a convite do Governo do Estado em 1991, para iniciar a revitalização da área. Estou feliz com o início das obras do novo projeto”. Tanto Adriane como Selister concordam que se trata também de resgatar a autoestima da cidade.

“Ações como essa são um gesto de amor, a gente precisa se mexer enquanto sociedade e pessoa física e fazer alguma coisa”, diz o artista. A exposição fica até o fim de abril no Cisne Branco, seguindo depois para lugares como Biblioteca Pública, Shopping João Pessoa, Studio Clio e Museu Júlio de Castilhos. As coleções “Porto Alegre” e “Expressões daqui” receberam o Prêmio Principal no 6º Prêmio Nacional Bornancini de Design e a Menção Honrosa na categoria Design Gráfico — Ilustração Editorial em Porto Alegre em dezembro de 2016 e 2017, e a coleção “Porto Alegre” foi selecionada para a 12ª Bienal Brasileira do Design Gráfico em Brasília.

 

 

 

 

COMENTÁRIOS