Cinemateca Capitólio, a volta do cinema de rua

Centro Histórico- por Emílio Chagas 

Cinemateca Capitólio, a volta do cinema de rua

Projetado e construído pelo engenheiro Domingos Rocco, sendo inaugurado em 12 de outubro de 1928, o Cine Theatro Capitólio foi um dos mais majestosos surgidos naquele início de século em Porto Alegre – período em que surgiram também mais 10 suntuosos cinemas. O Capitólio possuía um equipamento moderno para a época, dispondo de 1295 lugares. Além de projeção de filmes, também era espaço para apresentações de balé e teatro, e até mesmo concursos de beleza. O espaço cultural também é uma importante referência arquitetônica, com fachada rica em ornamentação em relevo, tipíca do seu estilo eclético.

 

 

Depois de mais de uma década e um longo processo de restauro, a Cinemateca Capitólio finalmente abriu suas portas em fins de março. No mesmo dia, o público pôde assistir à sessão inaugural, um programa formado pelo curta “Início do Fim”, de Gustavo Spolidoro (filmado nas ruínas do prédio), e pelo longa “Vento Norte”, de Salomão Scliar (primeiro longa-metragem de ficção sonoro realizado no Rio Grande do Sul). Segundo Marcus Mello, coordenador de cinema da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) da prefeitura, a conclusão das obras da Cinemateca Capitólio representa um momento histórico na vida cultural de Porto Alegre. O restauro teve início em 2004, sendo um “longo e complexo processo de restauração do Cine Theatro Capitólio, uma das mais luxuosas salas de cinema da cidade”. Construído em 1928, por sua relevância arquitetônica e cultural, o prédio foi declarado Patrimônio Histórico do município de Porto Alegre (1995) e do estado do Rio Grande do Sul (2007). “Com esta inauguração, a capital gaúcha passa a ser uma das poucas cidades brasileiras a contar com um grande cinema de rua, preservado em toda a sua imponência e riqueza arquitetônica, possibilitando às novas gerações o contato com um autêntico memorial da era de ouro da exibição cinematográfica. Um período marcado pelos gigantescos e suntuosos “palácios do cinema”, normalmente localizados na região central das grandes cidades, cujas sessões atraíam uma multidão de espectadores”, segundo o coordenador.

 

Reestruturação e parcerias

 

O projeto, porém, vai além de ser apenas um espaço como sala de exibição: o prédio também passa a ser um local destinado à preservação da memória audiovisual do Rio Grande do Sul. Conta com uma sala de cinema stadium com 164 lugares, biblioteca, sala multimídia, cafeteria, salas de pesquisa, espaço para exposições e uma área inteira dedicada à preservação de filmes, roteiros, fotos, livros, cartazes e outros itens relacionados à memória do cinema e do audiovisual, como informa a Coordenação. Além disso, a Cinemateca Capitólio passa a ser a sede oficial do Programa de Alfabetização Audiovisual, projeto desenvolvido pela SMC e pela Secretaria Municipal de Educação (SMED), em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e financiado pelo Ministério da Educação. Mais: além de desenvolver seus projetos habituais, o Programa de Alfabetização Audiovisual passa a responder pela ação educativa da Cinemateca Capitólio. A gestão da Cinemateca deve ser compartilhada entre a Prefeitura de Porto Alegre e a FUNDACINE-RS, parceiras no projeto desde o seu início.

 

Marcus Mello, Cordenador de Cinema da SMC/PMPA

Principais espaços da Cinemateca Capitólio

 

Sala de cinema

A sala de exibição da Cinemateca Capitólio mantém as características originais do espaço, preservando o amplo pé direito do antigo Cine Theatro Capitólio e a arquitetura da tela, tendo, contudo, sua plateia adaptada para o formato stadium. A sala, com capacidade para 164 espectadores e espaço reservado a quatro cadeirantes, tem sessões de cinema permanentes. Equipada com dois projetores 35 mm, a sala de cinema tem programação de terça a domingo, com três sessões diárias.

 

Acervo

O acervo da Cinemateca Capitólio está organizado em salas distribuídas em quatro pavimentos, projetadas especialmente para a função de guardar materiais relacionados à memória audiovisual do Rio Grande do Sul. Localizada atrás da tela da sala principal de exibição, a área do acervo da Cinemateca reúne filmes realizados em distintas bitolas (35 mm, 16 mm, 8 mm, VHS, DVD, HD), cartazes, roteiros, fotografias, recortes de jornais e demais documentos relacionados à produção cinematográfica em nosso estado.

 

Sala multimídia

Espaço destinado à realização de oficinas, cursos, palestras e exibições de filmes, equipado com um projetor digital de alta definição e capacidade para 40 pessoas.

 

Salas de pesquisa

Duas salas destinadas à consulta individual de pesquisadores interessados em assistir a filmes guardados no acervo da Cinemateca Capitólio. Equipadas com aparelhos de DVD e monitores de televisão, as salas são de uso gratuito, sendo disponibilizadas mediante agendamento prévio através do telefone (51) 3289.7463.

 

Biblioteca

Biblioteca especializada em cinema, reunindo livros, catálogos e revistas, com o objetivo de atender pesquisadores da área e demais interessados pelo tema.

 

Sala de exposições

Espaço destinado a exposições e projeções de videoarte, localizado no andar térreo do prédio.

 

Cafeteria

Localizada no segundo andar do prédio, a cafeteria é um espaço de convivência destinado a atender aos frequentadores da Cinemateca Capitólio, servindo cafés, bebidas e uma diferente carta de doces, salgados e lanches em geral.

 

Cinemateca Capitólio

Rua Demétrio Ribeiro, 1085, Centro Histórico

Porto Alegre/RS

COMENTÁRIOS