Cervejas de maio

Ao mesmo tempo em que está começando a primavera no Hemisfério Norte, começa o outono para nós outros cá no Hemisfério Sul. Isso faz com que certas tradições trazidas pelos imigrantes europeus sejam festejadas na estação oposta.

 

BURGOMESTRE, por Sady Homrich

Por exemplo, o Natal que nos acostumamos a consumir é típico de inverno, com trenó, neve, personagens enroupados e comidas fortes. Eu mesmo já fiz muita “sauna” dentro de roupas de Papai Noel no calorão de dezembro…

A Oktoberfest de Munique tem suas origens em um casamento de nobres celebrado em pleno outono alemão. Aqui no Brasil, onde há a segunda maior Oktober do mundo, estamos no meio da primavera.

No sentido oposto vem a cerveja de estilo germânico Maibock, uma variação do estilo Bock produzida para ser consumida em maio, auge da primavera acima do Equador, onde ainda não é tão calor do verão, com temperatura amena o suficiente para que os bávaros sentem em um biergarten (bar ao ar livre) e degustem sua cerveja preferida.

Já comentei que a palavra “bock” aqui remete a cervejas escuras. Esqueçam esse conceito. Elas são mais alcoólicas e tem mais corpo, mas sua coloração pode ser de dourada a marrom escuro.  As Weizenbocks, por exemplo, são cervejas de trigo com maior teor alcoólico, e temos representantes claras e escuras…

A cerveja sazonal Maibock é clara, levemente menos encorpada e com uma lupulagem (amargor) um pouco mais perceptível que a Bock, aquecendo e refrescando ao mesmo tempo. Na última semana de abril, quando o inverno já deixou a região da Baviera, onde este estilo teve sua origem, e as flores da primavera começam a dar os primeiros sinais de vida, duas tradições ocorrem. O plantio da Maibaum, ou árvore da vida, árvore de maio, onde um tronco de árvore ornamentado por pedaços de tecidos e papéis é “plantado”, principalmente por jovens, simbolizando o amor e o tempo de prosperidade trazido pela primavera. A segunda tradição é abrir o primeiro barril de Maibock.

Como esse estilo ganhou a preferência de muitos, alguns cervejeiros resolveram produzi-lo todo o ano, passando a designá-lo como Helles Bock. As características de ambas as cervejas são idênticas: coloração laranja, cristalina, espuma com boa formação e boa persistência. Aroma de maltes remetendo a biscoito, mel e caramelo, florais e herbais trazendo certa refrescância no sabor. Harmonizam com comidas apimentadas, polvo, salsichas e noites de outono, como fala meu amigo Alexandre Bazzo.

Sugiro duas cervejas desse estilo para compartilhar com a família neste mês das mães, para homenagear e retribuir todo o amor e carinho incondicional!

– Bamberg Maibock (6,5% alc.), produzida sazonalmente em Votorantim/SP. Recém lançaram a edição 2017;

– Zehn Bier Heller Bock (6,8% alc.), comemorativa dos cinco anos da cervejaria de Brusque/SC em 2008. É produzida todo o ano. Só não me perguntem porque é Heller, com “r”.

 

Abraço do burgomestre!

Sady Homrich

COMENTÁRIOS