Cerveja, churrasco e futebol em um novo conceito

SUL SETE

Cerveja, churrasco e futebol em um novo conceito

Amigos, futebol, cerveja e churrasco. Uma combinação clássica do povo brasileiro. Na Sul Sete isso é comum e bem frequente, mas com uma diferença: a cerveja é artesanal, produzida no próprio ambiente onde fica a quadra de futebol.

 

 

   Vilmar Peracchi, 48 anos, está há dois anos e meio na quadra de futebol, que já existe há sete. “O pessoal se reúne tendo o futebol como fato aglutinador, e depois vem a cerveja e o churrasco”, diz ele. O movimento da quadra estava muito bom, mas ele e seu sócio pensavam como poderiam ampliar e agregar valor, para se diferenciar das outras. “Aí fomos no ítem cerveja, já que não tinha como ampliar a quadra. Ampliamos o bar e passamos a fazer a nossa cerveja, de qualidade”, diz. Pronto, estava criado o diferencial. O sócio Daniel Nasi, que surgiu com a idéia esteve em Santa Catarina (Blumenau e Pomerode), buscando informações sobre o assunto. Estudaram a viabilidade e acharam que era possível. A partir daí foram atrás dos fornecedores de equipamentos. Também estiveram na Feira Brasil Brau, onde descobriram o stand do SENAI oferecendo cursos para proprietários de cervejararias. Daniel foi para Vassouras, no Rio de Janeiro, para um curso condensado de 30 dias.

 

Descobrindo o mundo das artesanais

   Com o aprendizado e mais a criatividade dos sócios, logo começaram a fabricar. “E deu certo, foi assim que a gente aprendeu o beabá da cerveja”, diz Vilmar. O tipo Pilsen é o consumido, mas produzem também Pale, Ale, Staut e Waizen, muito apreciadas. “São cervejas que saem do lugar comum, são mais elaboradas e o pessoal está aceitando bem, até as mais amargas”, afirmando. Nota que os frequentadores a cada dia estão aprendendo a degustar, apurando o paladar e exigindo mais. Mesmo com o grande desconhecimento do assunto, ele acha que só a curiosidade já é meio caminho andado para as pessoas descobrirem este mundo e os novos sabores das cervejas artesanais. Está confiante no mercado: “Acho que vai aumentar geometricamente o consumo em pouco anos. É uma tendência, até onde vai parar eu não sei.” E o grande diferencial para ele é o “dia seguinte” quando, mesmo tomando bastante cerveja, não se tem nenhuma dor de cabeça – por serem as artesanais mais puras e sem nenhum componente químico.

 

(SE BEBER, NÃO DIRIJA)

COMENTÁRIOS