Cerveja, aromas e sabores

Cerveja, aromas e sabores

       O tema disserta sobre as cervejas “ALE”, cervejas de alta fermentação que se ramificam em diversos estilos e subestilos. Tem escola em diversos países, especialmente a Inglaterra.

 

       É sabido que a cerveja é uma das bebidas fermentadas mais antigas de que se tem registro, porém, esta bebida teve diversos momentos na história da humanidade, ora dominada mundialmente por uma ou outra escola cervejeira, com restrições e legislações das mais diversas ao redor do mundo. Um momento muito especial foi o chamado Movimento ou Revolução Microcervejeira da Inglaterra, surgido no pós Woodstock. Aos poucos o movimento criou corpo, em todos os sentidos, reconquistando naquele país o espaço perdido em décadas anteriores pelas cervejas LAGERS Alemãs e Tchecas. Este movimento fomentou todo um mercado ao redor do mundo, contaminando os EUA e mais recentemente os paises da América Latina.

       É muito interessante acompanhar o Movimento Homebrewer Brasileiro, em que cada um se dedica a fazer uma excelente cerveja dentro da sua inspiração, seja ela na escola Alemã, Tcheca, Inglesa, Belga ou Americana. E disparado, as inspirações ficam a cargo das escolas Inglesas e Americanas, seja pelo lúpulo proeminente ou pelos sabores deliciosos e cores bonitas que elas se propõem.

       Existem inúmeras cervejas nacionais e importadas dentro do estilo ALE INGLESA. É importante lembrar que existem no Brasil, e é claro em Porto Alegre, homebrewers fazendo excelentes ALES, sejam elas PALE ALE, IPA, OLD ALE, GOLDEN ALE, entre outros subestilos. A FULLERS é mais tradicional cervejaria inglesa e também a mais lembrada. Temos ainda a cervejaria BADGER, de excelente qualidade, das americanas temos a Cervejaria Brooklyn, a Cervejaria Sierra Nevada, Samuel Adams etc… No Brasil a Dado Bier, Baden Baden, Backer e Eisenbahn também possuem uma linha de cervejas de alta fermentação.

       O QUE ESTOU DEGUSTANDO: uma OPA BIER Edição Especial de Aniversário – 5 anos. Trata-se de uma cerveja tipo OLD ALE, muito bem elaborada, de coloração cobre claro, espuma cremosa e um adocicado proporcionado pela combinação de maltes e em parte fruto de seu volume alcoólico. Notas tostadas e caramelo são facilmente perceptíveis e lúpulo marcante, mas bem equilibrado. O estilo OLD ALE não se remete a um tempo de maturação elevado, mas sim a forma como as ALES antigas eram elaboradas, boa parte delas armazenadas em barris de carvalho.

       O QUE ESTOU COMENDO: para acompanhar um ESBEIN IN BIER (joelho suíno na cerveja), refeição de domingo ou de dias festivos na Alemanha, aqui em casa também!, o preparo com cerveja é mais comum na região da Baviera. Para os que querem se aventurar, segue a receita como dica.

 

Eisbein In Bier: Porção para 4 pessoas

Ingredientes:

– 700g de joelho suíno

– 6 unidades de semente de kümmel

– 100g de cebola

– 750ml de cerveja pale ale

– 5g de açúcar mascavo

– Sal e pimenta do reino a gosto

 

Modo de fazer:

Temperar os joelhos de porco com sal, pimenta e kümmel, reservar por algumas horas; cozinhar os joelhos de porco na cerveja, com a cebola, em fogo baixo, até ficarem macios; peneirar o molho, acrescentar o açúcar e temperar com sal e pimenta se necessário; servir os joelhos de porco com o molho e acompanhamentos a gosto, como batatas no vapor, repolho branco ou roxo.

COMENTÁRIOS