ESPAÇO ASCOMEPC: Canal Aberto com a ASCOMPEC

Canal Aberto com a ASCOMPEC

Ivan Konig Vieira, presidente da Ascomepc

 

Dia 6 de julho, às 20h25, recebi uma ligação dizendo que o Mercado estava pegando fogo. Eu estava na freeway, vinha a uma festa no Grêmio Náutico União. Quando cheguei aqui era 20h30, os bombeiros já estavam trabalhando e o fogo estava com uma propagação muito grande. Aí começou a tristeza. Foi apagado o fogo e no dia seguinte tivemos uma reunião com o prefeito José Fortunati. Desde então estamos sempre em reuniões. A gente focou na reabertura do Mercado, não na obra geral, mas primeiro em salvar o que fosse possível para a reabertura.

Não temos só o vínculo financeiro com o Mercado, temos um vínculo de carinho. A gente vive aqui dentro, passa mais tempo aqui do que na própria casa. Foi uma tragédia o que aconteceu, um acidente, e é muito triste ver aquelas imagens, o prédio queimando, e o pavor das pessoas, não só dos permissionários, mas de freqüentadores. Recebemos muitas mensagens de carinho do povo gaúcho, e crianças de algumas escolas mandaram trabalhinhos para a gente, “Mercado reabre”, “Mercado, a gente te ama”. A cada momento se vê como o Mercado Público é querido, não só pelo povo porto-alegrense e gaúcho, mas pelo Brasil todo, já que recebemos muitos turistas no dia a dia.

São 1200 famílias diretas que vivem do Mercado, e isso é a alma do Mercado. O prejuízo foi grande, mas, dos males, o menor – não se queimou tudo. Ver o Mercado na atual situação nos deixa tristes, mas essa tristeza já está ficando para trás. O Mercado está aberto.

Ficamos muito preocupados com o pessoal do segundo piso que perdeu tudo. Eles são membros do Mercado, órgãos que fazem esse corpo funcionar. Vamos tentar fazer, dentro das possibilidades, todo o necessário para ajudá-los, para que se restabeleçam. As perdas são grandes, mas estamos tentando algumas alternativas para eles.  Agora a gente tem que pensar para frente. Desse limão amargo, fazer uma limonada. Aqueles que perderam tudo, pelo menos têm um horizonte na reabertura. Acredito que até a Copa eles já vão estar trabalhando a todo vapor.

 

Trabalho de reabertura

 

O papel da Associação, não só nesse momento como em todos os outros, é de representar todos os permissionários. Estamos fazendo uma parceria com o governo, que está nos ajudando muito. Nossas demandas são discutidas em reuniões com os permissionários, e são levadas à Prefeitura. Muitas coisas a gente vai fazendo, como o banheiro, que foi reformado e estava inutilizado por causa de vazamentos. Também restabelecemos o telefone, porque todos os cabos queimaram. Quando saiu o laudo da Smov, a gente soube que não abririam as bancas na parte inferior ao incêndio, que só poderiam abrir no final da obra. Então fizemos uma reunião com o pessoal afetado, contratamos o engenheiro Teo Meditsch e, junto com a Secretaria da Cultura e com o EPHAC, iniciamos a impermeabilização dessa área. Com isso, as bancas sob a área atingida pelo incêndio vão poder reabrir em breve. Achamos uma solução para esse pessoal, em média 400 funcionários.

Quero dar os parabéns aos bombeiros, que não deixaram queimar todo o Mercado, e ao Poder Público Municipal. Ao prefeito José Fortunati (que ficou com a gente até as 2h da manhã, acompanhando apagar o fogo)  e ao vice-prefeito Sebastião Melo, que no outro dia nos receberam e começaram a movimentação para reabrir o Mercado o mais breve possível. Quero parabenizar a todas as secretarias envolvidas, e agradecer pelo carinho e empenho. Também quero agradecer ao empenho de toda a diretoria da Ascomepc, que é muito unida e trabalha em conjunto. Gostaria de agradecer ao pessoal da CEEE e estender o agradecimento a todos que ajudaram nessa reabertura do Mercado. Foi um estrago grande – é um patrimônio histórico, não é como fazer uma obra em um prédio comum –, e estamos reabrindo em 38 dias. O governo viu algumas precariedades que o Mercado vinha sofrendo e acredito que isso vai melhorar daqui para frente. A gente pode esperar um Mercado muito melhor do que era antes.

COMENTÁRIOS