Café e reflexão

Café e reflexão

 

Reforma do Café PanAmericano trouxe opção de reflexão para os transeuntes do Mercado Público.

 

Em tempo de mudanças, é comum encontrar tapumes em diversos pontos do Mercado Público. Seja para reformas do prédio histórico ou melhorias particulares, uma coisa é certa: colocar um pouco de alegria nos ambientes de obras pode ser uma boa forma de descontrair o ambiente. Foi o que o pessoal do Café PanAmericano pensou, quando surgiu a ideia de participar do movimento “Before I Die…”, na versão brasileira, “Antes de Morrer Eu Quero…”, uma forma de aproveitar os tapumes escuros da obra e proporcionar um local para os passantes deixarem seus desejos de vida. Exposto até o dia 28 de fevereiro, o tapume preto imitava um grande quadro negro, onde, com giz, as pessoas podiam participar e deixar suas vontades. O idealizador da idéia e arquiteto responsável pela reforma da padaria, Rafael Magalhães, afirma que a iniciativa teve o objetivo de criar uma interação com os transeuntes. “O que poderia ser uma parede suja e feia de uma obra comum passa a ser um mural colorido que provoca a reflexão sobre as escolhas que estamos fazendo de nossas vidas”, afirma o arquiteto.

Datado de 1960, o bar e café PanAmericano, passou por uma reforma que modernizou o ambiente. Leandro Sousa, sócio-proprietário do estabelecimentp. afirma que o café está totalmente novo. “Moderno e pronto para atender um público que se torna cada dia mais exigente”, afirma o responsável pelo empreendimento. A fim de propor uma nova gastronomia, que contará com uma vasta gama de sanduíches elaborados, saladas e refeições completas, a nova empreitada busca conquistar novos clientes e firmar a escolha dos antigos. “A ideia do projeto foi dar um ar retrô e, ao mesmo tempo, modernizar a loja. Além disso, está sendo realizado um estudo de logotipo novo para acompanhar a mudança”, afirma Rafael, que coordenou a reforma. Após muito trabalho, Leandro comemora o resultado e afirma que o café está pronto para atender ao público que chega com a Copa do Mundo. “Ele (o café) foi todo demolido e reconstruído em 60 dias. Agora está pronto para receber a todos”, comemora. O Café PanAmericano já está em funcionamento normal no Mercado Público.

 

Foto: Júlia Klein Bondan

COMENTÁRIOS