Carlos Correia Mello: Bar Santos, um dos mais antigos Mercado

Recanto da boemia e patrimônio histórico de Porto Alegre, o Bar Santos escreveu a sua história no balcão. Um lugar onde o tempo desistiu de soprar os seus ventos. Embalado talvez por aquele senhor simpático, cabelos brancos de sorriso fácil e bom de prosa. Nascido em 1927, estando, então com 80 anos. Carlos Correia Mello trabalha, ao longo do balcão, desde 17 de setembro de 1957, o mesmo ano em que a Rádio Guaíba entrou no ar (30 de abril 57).
Ele começou no próprio Bar Santos, estando lá, portando, há exatos 50 anos. Sempre preservando o seu estilo, com a velha e boa cachacinha de alambique, aberto ao seus clientes nos sábados, domingos e feriados.

“Tenho muitas histórias, tanta coisa para lembrar e contar que se fosse escrever levaria um dia inteiro” devaneia. Gostaria que o preço do Mercado fosse mais barato, para poder ser mais competitivo, comenta seu Carlos. Lembra do “tempo bom” na época em que o porto era ativo, “ali trabalhavam mais de 1500 homens, entre portuários e estivadores”. Conta que o Mercado vivia cheio. Tem saudade dos tempos bons para o seu comércio. “Eu tinha uma máquina que fazia 6 litros de café no fim dos anos 50. Vendia muitos pastéis e rosquinhas. Aquela gente que trabalhava no porto quando largava ia para casa levava queijo, ou salame”.
O tempo bom não volta mais, mas as história desse tempo, estão a um de prosa com o seu Carlos… aquele do Bar Santos.

COMENTÁRIOS