Bancas Tradicionalistas, sabores do Rio Grande

RANCHO GAÚCHO- BANCA 16

A banca funciona desde 1978, comercializando produtos gauchescos como erva mate, cuia, bomba de chimarrão, alpargatas, facas e “alguma coisa em correaria”, afirma Robson Groff, proprietário da banca. O “pico” de vendas é geralmente em setembro, que é o mês da Semana Farroupilha, quando são vendidos, principalmente, botas, chinelos e outros artigos do vestuário gauchesco. A maioria dos compradores é de Porto Alegre porque, segundo Robson, “a cultura gauchesca está sendo bem difundida com os CTGs na capital. ”

SERVIÇO: (51) 3228.3165

Cartões de créditos: todos, com exceção do American Express.

 

CASA DA ERVA MATE – BANCA 33

A banca é especializada em bombas, cuias, erva mate, chás, facas, alpargatas, e artesanato desde 1959, quando começou vendendo erva mate, pássaros e rações. Com a reforma este tipo de comércio foi proibido no interior do Mercado. Segundo Gilmar Antônio Giovanaz, um dos sócios, optou-se em ficar na parte interna do Mercado, iniciando-se então a comercialização de artesanato e produtos gauchescos. Abanca manda erva para todo o Brasil e até o exterior. “Muitos são gaúchos, mas a maioria é de fora que veio e gostou do chimarrão.

SERVIÇO: (51) 3061.0788

Aceita todos os cartões de créditos.

 

SUPER MATE LTDA-BANCA 25

Quem entrar nesta banca vai encontrar uma variada linha de produtos ligados ao tradicionalismo, principalmente erva mate e produtos como botas (muitas), lenços, cuias, bombas, bombachas, boinas, coletinhos, espetos e outros itens artigos de churrasco. Como a maioria das bancas, mudou de lugar com a reforma. A atual proprietária, Maria Pappen está no local há sete anos e conta que o público é formado por pessoas de Porto Alegre e da região metropolitana, mas que recebe também muita gente de fora – turistas de fora do estado e do país, principalmente nos meses de julho e janeiro.

SERVIÇO: (51) 32262300

Visa e Mastercard.

 

RANCHO NATIVO- BANCA 2

Capitaneada por Lair Groff, a Banca Rancho Nativo vem, desde de 1961, trabalhando com produtos voltados para a cultura gaúcha, passando por dois incêndios e pela grande reforma do Mercado Público dos anos 90. Sempre no mesmo local, a banca, a exemplo das outras do mesmo segmento, comercializa produtos gauchescos de artesanato, chás, temperos. As atividades de vendas ocorrem normalmente durante o ano inteiro, sem nenhuma data específica. O público é formado por pessoas de Porto Alegre e da grande Porto Alegre, atendidas por seis funcionários.

SERVIÇO: Aceita todos os cartões de créditos (A casa não trabalha com cheque).

 

PONTO DO CHIMARRÃO- BANCA E

A banca está há apenas seis anos no Mercado, tendo entrado através de uma licitação pública. Antes, no local funcionava uma peixaria. Atua basicamente nos ramos de chimarrão e produtos naturais, como informa o seu proprietário Jefferson Suris Spolari. Lá os clientes vão encontrar cuias, bombas, térmicas, alpargatas chinelos de couro e toda a linha completa de chás, em pacotes ou cápsulas. O público, segundo o proprietário, é bem diversificado – trabalha com o tradicionalista e com os turistas. A exemplo das outras bancas, quem está a passeio na cidade sempre leva cuia, bomba, erva-mate (trazida do interior, Santa Catarina e Paraná, vendida a granel ou em pacote) e lembrancinhas.

SERVIÇO: (51) 32257444

Cartões de crédito: Visa, MasterCard, Banricompras.

 

COMENTÁRIOS