Banca do Holandês comemora 99 anos de história

Tradição é a marca registrada da banca. Com o passar dos anos, foi crescendo junto com o Mercado que a abriga há quase um século e, hoje, colhe os frutos de uma história construída junto aos seus clientes.

 

“Parece que a Banca do Holandês está na alma de muita gente.” A frase dita por Adriana Schmitt, sócia da banca, nos ajuda a entender a longevidade de um dos locais mais tradicionais do Mercado Público.

Inicialmente denominada como Banca 31, foi fundada em 1919 por Dirk Van Den Brul, um holandês, o que fez com que todos começassem a chamar o estabelecimento de Banca do Holandês, que posteriormente se tornou o nome oficial da banca. Quando Dirk faleceu, o controle foi passado para alguns funcionários. Destes, Renato Jardim Rosa comprou a parte dos demais.

 

Relação com os clientes

Com o passar dos anos foi consolidando a sua história. Já é considerada a primeira loja de especiarias de Porto Alegre, mantendo-se no mesmo local desde o início. Após a reforma do Mercado, o espaço foi ampliado, assim como o número de funcionários. Hoje, além do serviço de tele-entrega, é possível que o cliente compre produtos pelo site e receba em casa. “A gente atualizou. Foi feita toda a informatização, solicitações da saúde, etc.

Procuramos nos adequar a tudo que vem de novo”, diz Adriana. Atualmente, é uma das referências no mercado de fiambres nobres, bacalhau e especiarias, contando com mais de 1,8 mil itens. Adriana também ressalta o carinho dos clientes.

“No último incêndio, logo que a gente reabriu, vários clientes antigos entraram na loja chorando de emoção. Diariamente, alguns não se importam em pegar a senha e esperar. O nosso cotidiano é de famílias que vêm há gerações aqui. O cliente também traz a sua história”, diz.

 

Funcionários antigos

A banca tem vários funcionários que estão há anos ali, como Paulo César Boeira, um dos mais antigos, que começou a trabalhar na Banca com 17 anos. Hoje, aos 41, enxerga tudo que construiu nesses anos: “Já estou aqui há mais de 20 anos. Quando cheguei, ainda era o Mercado antigo. Além de ter feito muitos amigos, posso dizer que construí minha vida aqui na Banca”, diz.

O clima amigável entre funcionários e clientes é uma das principais características do local. Próximo do seu centenário, busca, cada vez mais, estreitar laços. “A gente procura manter as tradições, realmente valorizar a nossa relação com a clientela, que é algo muito familiar.”

COMENTÁRIOS