As Ruas de Porto Alegre

Centro Histórico, por Emílio Chagas

 

As Ruas de Porto Alegre

Foto: Ivo Gonçalves-PMPA

Este é o tema e o título de uma série de dois volumes escrita por Eloy Terra, jornalista e radialista nascido em Triunfo, radicado em Porto Alegre a partir de 1945. Repórter, redator, contista, programador de programas de rádio e pesquisador, passou por vários veículos de comunicação, como agências de propaganda, jornais, rádios e outros. Os livros, que trazem muitas curiosidades sobre inúmeras ruas da cidade, estão esgotados.

 

Eles reúnem origens, curiosidades e história dos nomes das nossas ruas, avenidas, praças, travessas e alamedas. Nomes que são desconhecidos da grande maioria da população – mesmo os mais famosos. O autor vai desvendando, através de suas pesquisas, também os nomes originais, populares, denominados pelo povo, de muitas delas. Talvez o exemplo mais clássico seja a Rua da Praia, que poucos sabem que se chama Rua dos Andradas, e menos ainda, quem foram os Andradas e seu papel na história do Brasil. “Caminhamos indiferentes pelas ruas com nomes de políticos, artistas, militares, cientistas, escritores e tantos outros personagens ilustres. Na pressa de encontrar um endereço, acabamos não percebendo o significado dos nomes das ruas. Assim, Olavo Bilac deixa de ser um poeta e se transforma numa placa de metal ou acrílico”, escreve o autor.

 

Foto: Joel Vargas- PMPA

Alguns nomes famosos

Quem não conhece a Avenida Assis Brasil, movimentadíssima e essencial para a mobilidade urbana da Zona Norte, outrora chamada Caminho do Passo da Areia? O homenageado é o escritor, poeta e jornalista Joaquim Francisco de Assis Brasil, um dos mais importantes políticos gaúchos. Ou João Pessoa, o político paraibano, candidato a vice-presidente de Getúlio Vargas, em 1930, assassinado naquele mesmo ano em Pernambuco? Até 1930, a rua que leva o seu nome hoje chamava-se Avenida da Redenção. Outro que não era gaúcho e tem o nome de uma importante artéria, também da Zona Norte, é o paulista João Sertório Júnior. Foi nosso presidente da Província, cargo que hoje equivale ao de governador. Nessa época, criou duas colônias italianas no Rio Grande do Sul: Conde D’Eu, atual município de Garibaldi, e Dona Isabel, hoje Bento Gonçalves. Outras duas grandes avenidas levam nomes de gaúchos ilustres: Bento Gonçalves, líder da Revolução Farroupilha, e Protásio Alves, igualmente político, importante médico, um dos fundadores do Clube de Partos da Santa Casa e vice-governador por duas vezes. A avenida que leva seu nome antes teve várias designações: Estrada da Capela, Caminho de Viamão, Caminho do Meio e Estrada do Capitão Montanha.

 

Origens e curiosidades

Muitas ruas nasceram como estradas rurais, tendo como função ligar os lugares mais distantes com o Centro da cidade. Com o crescimento de Porto Alegre, transformaram-se em grandes avenidas. Também chama a atenção os muitos nomes curiosos, como Volta da Cobra (Partenon), Rua do Arvoredo, Rua da Igreja, Rua da Ponte, Rua da Passagem, Rua do Cotovelo (Centro), Rua Beco da Paixão (Restinga), Arroio dos Padres (Glória), Arco-Íris (Lomba do Pinheiro), Rua Encantadora, Rua Pitoresca, Rua Mimosa, todas na Agronomia. Muitas ruas mudaram várias vezes de nome, alguns surgidos de curiosidades, como o Beco do Fanha ou do Quebra-Costas (devido a uma fortíssima inclinação), no Centro Histórico. O maior número de trocas de nomes ocorreu em 1936, por iniciativa da Câmara de Vereadores. Na época da edição do 1º volume, em 2001, Porto Alegre tinha em torno de 5,5 mil logradouros públicos, entre avenidas, acessos, becos, esplanadas, estradas, largos, parques, praças e travessas. Publicados pela Age Editora, os livros também foram tema de um programa da Rádio Gaúcha, apresentado pelo próprio autor. Sem dúvida, um mapa da cidade feito de curiosidades e muita história.

Foto: Joel Vargas-PMPA

COMENTÁRIOS