As boas festas de quem vive o Mercado: os clientes

Desta vez não trouxemos receitas, nem chefs: fomos buscar dos próprios frequentadores diários do Mercado Público as suas idéias de pratos, bebidas e sobremesas para as festas de fim de ano. Se você ainda não se decidiu, quem sabe encontre aqui algumas boas dicas para viver (e degustar) estes momentos festivos?

 

 

Fotos: Gabriela da Silva

Cristiane Dias – Um Natal “pronto”

 

Ela praticamente não tem muito trabalho no Natal: o peru, dado pela empresa onde trabalha, já vem pronto e temperado. Ela só acrescenta uma calda de abacaxi – que já vem em lata.  Bebidas: cerveja e refrigerante. “De frutas, uso sempre as clássicas – laranja, morango, uva, que sempre tem no verão.” E no Ano Novo é sempre churrasco, na praia, com todos os tipos de bebidas imagináveis, de vodka à cerveja. Passa sempre com o filho de cinco anos e a família.

 

Mariano Rodrigues – Diversidade étnica e cultural

De origem judaica, diz que o Natal é mais festejado em Israel. “Fora, quase não se festeja, porque não estamos na Terra Santa. Mas temos nossas festividades, bastante diferente do Natal tradicional. Não temos ceia neste dia; elas (shabat) são semanais, nas sextas-feiras, depois das rezas. Levam mais de 20 tipos de produtos, todos kosher (que seguem a lei judaica): doces, bolos,  vinho, refrigerantes.” Ovos, bolinhos de grãos de bico e chocolate são os alimentos lembrados. O Ano Novo judeu é o Rosh Hashaná, comemorado em outubro, seguido do Yom Kippur (Dia do Perdão), que é de jejum.

 

Daniela Schimitt – Boas festas com churrascada

No Natal, na casa de Daniela, a tradição é churrasco, com carnes de todos os tipos, misturadas. O tempero usado é o chimichurri. Nas sobremesas, o tradicional: pudim e sagu. Bebidas: cervejas. “De frutas, a gente usa todas – maçã, pêssego. E no Ano Novo também é churrasco, com toda a família reunida.”

 

Daniela Utzig – Tradição alemã

Normalmente a gente junta toda a família e faz uma ceia, com comida típica alemã: galeto, maionese, massa, saladas. De sobremesa, às vezes tem torta de bolachas, tortas alemãs, com frutas (morango, pêssego) ou nozes.” A maior lembrança que Daniela tem do Natal é da visita da sua “dinda”, que sempre vem da Alemanha para visitar a família. Não é sempre que ela passa o Ano Novo com a família, geralmente fica com os amigos. Lentilha e frutas estão sempre presentes. Pedido? “Que 2017 seja mais light para todos.”

 

Elicia Amaral – Natal evangélico

Passa o Natal em família, de evangélicos, com ceia feita em casa. Os doces são caseiros, como pudim, torta de pêssego. Bebidas: apenas água e refrigerantes.

 

Érico Silveira – Natal na casa dos tios

Passa as festas natalinas geralmente na casa de um tio, onde cada um faz uma comida, inclusive com uma opção vegetariana. Tem peru, salada de batatas, de pasta de grão de bico, moranga, etc. Doces, não lembra de nenhum – “porque não sou muito de doces”. E bebidas “é muita cerveja, para encarar o Natal”.

 

Felipe Polônia – Natal minimalista

“Minha família sou eu e a minha mãe. Normalmente tem um tender, abacaxi, arroz. A gente não bebe, então sempre tem refrigerante ou suco. Nosso Ano Novo é ainda mais ‘parado’ que o Natal. Mas tem lentilha, todos os anos. E vamos para a sacada para ver se vai ter fogos de artifício ou não.”

 

Hilda Rorato – Religiosidade natalina

Visitante, natural de Foz do Iguaçu/PR, ela diz que o seu Natal é cristão, priorizando mais o sentido natalino do que o consumo. “Vou à igreja, faço uma confraternização em família. Fazemos visitas a lar de idosos e outras ações neste sentido.” A ceia não sai muito do tradicional: peru e um empadão da irmã, que Hilda considera imbatível, além de um escondidinho de mandioca, com carne seca, salpicão e vários tipos de arroz.

 

O empadão:

Tradicional “massa podre”, sem leite, nem água – apenas trigo, margarina, ovos, gema de ovo, só uma clara, para dar liga e sal. Deve ser bem amassada, para dar o ponto, e depois forra-se uma travessa e no fundo coloca-se os ovos cozidos. A água do cozimento do peito do frango deve ser reservada para fazer o molho. Numa frigideira, vai cebola, bastante tomate sem pele, depois é acrescida a água do cozimento. O frango deve ser desfiado em pedaços médios, que devem ser colocados no molho. Ainda vão azeitonas picadas, pimenta do reino, temperinho verde, milho e ervilha. Se precisar engrossar, deve ser usado trigo. Finalmente, coloca-se o molho na travessa, cobre-se, pincela-se com o ovo batido e é só assar. Todos os itens da receita podem ser encontrados nas bancas do Mercado.

 

Irene Santos – Comer uvas e pular as ondas

De família grande, Irene sempre passa os Natais com os parentes – o casal, mais três filhos, netos, noras e genros. A tradição familiar é todo mundo se presentear. “Este ano como a crise pegou, vai ser amigo secreto.” A ceia, antes era com peru, trocado ultimamente por chester. E bacalhau, além de frutas secas e normais, sobremesas, como o figo em calda e prensado ou manjar branco. “Já no Ano Novo é cada um por si, a gente não se reúne. Mas geralmente vamos para a praia.” Comida? “Lentilha, carne de porco, essas coisas tradicionais. Nossa superstição é comer as uvas e pular as ondas.”

 

Juliane Ramos – Passeando em Porto Alegre

“Meu Natal é em família mesmo. Selecionamos todos os anos a casa de um parente para fazer a confraternização.” Juliane é de Alagoas e conta que a ceia de lá é o tradicional peru, normalmente com algum fricassé (salada de frango fria, que leva presunto, maçã, dentre outras variedades). Bolo de chocolate, pudim, panetone recheado, que lá é muito apreciado – com nutela, doce de leite, recheio de leite ninho, chocolate fazem a festa nos doces. No Ano Novo, o forte em Maceió, a capital, são as festas com muita música. Ou no litoral, que, segundo ela, tem as praias mais bonitas do Brasil. O forte são as carnes, com molhos típicos, como de milho. E muitos destilados, uísque e cachaça, principalmente.

 

Onde encontrar tudo para as suas boas festas

 

 

Fotos: Gabriela da Silva

Bacalhau

 

Bacalhau é no Mercado Público, onde você tem um atendimento por especialistas no assunto, em várias bancas.

Armazém 28, Banca 26, Banca 43, Banca Central, Banca do Holandês, Empório 38.

 

Bebidas

O “Mercado Líquido” apresenta todas as bebidas, para todos os gostos: água, cachaças, champanhe, cervejas, destilados, espumantes, sucos e vinhos.

Banca 43, Banca do Holandês, Cachaçaria do Mercado, Empório 38.

 

Carnes, chester e peru

Pratos que não podem faltar na mesa no fim de ano, são encontráveis nos açougues que fazem a tradição do Mercado em carnes.

Açougue Big Bife, Açougue Ildo Pozzebon, Banca A, Casa de Carnes Santo Ângelo, Costelão do Mercado, San Remo Carnes, Supermercado de Carnes Rodeio.

 

Especiarias, temperos e grãos

Azeites, azeitonas, conservas, embutidos, frutas cristalizadas e secas, sardinhas, temperos diversos, vinagres, arroz, grãos em geral, entre outros itens, são essenciais para dar aquele toque de sabor e aroma em qualquer receita. Tudo você encontra aqui.

Armazém 28, Banca 17, Banca 26, Banca 43, Banca 47, Banca Central, Banca do Holandês, Empório 38, Loja da Reforma Agrária, Macrobiótica Sauer.

 

Frutas

São duas bancas especializadas em frutas, legumes e verduras. Nelas você encontra frutas simples, exóticas, nacionais e importadas.

Banca 10 e Banca 11

 

Hortifruti

Todo mundo sabe que o Mercado Público também é sinônimo de tempos – dos mais simples, aos mais sofisticados. São nove boxes de hortifruti com tudo que você precisa, mais duas bancas de frutas e verduras.

Box 2 Unidos, Alemão, Bagé, Pereira, Poliervas, Ponto Certo, Temperos e Sabores, Tio Raul. Bancas 10 e 11.

 

Panetones, doces e preparos

Grande estrela do Natal, no Mercado você encontra panetones de todos os tipos e marcas. Do tradicional, com passas e frutas cristalizadas, ao chocotone, passando por bolinhos, cupcakes, brownies, bolachas e tortas. Várias bancas oferecem produtos e utensílios para quem quer fazer o seu próprio panetone em casa, para consumir ou vender. Outras, uma variedade de quitutes prontas para levar.

Armazém 155, Armazém do Confeiteiro, Armazém do Mercado, Armazém Doce, Banca 12, Comercial Martini, Gueno, Martini 141, Mercado Doce, Padaria Copacabana, Padaria Pão de Açúcar.

COMENTÁRIOS