HomeDiversos

Aceite o chamado das árvores

  Aceite o chamado das árvores

 

Por Mary Mezzari* 

 

     Estão passando por Porto Alegre duas ecologistas canadenses, Dorothy Maclean e Judy McAllister, da Fundação Findhorn. Elas vem lançar um livro e um site. O livro é O CHAMADO DAS ÁRVORES, da Irdin Editora, que convida os seres humanos a darem uma parada no jeito em que estão vivendo para ouvir de outros seres vivos recados muito importantes, definitivos, para a preservação do Planeta Terra, a morada de todos nós.

Elas apresentam também a proposta do site www.ummilhaodearvores.org.br., dentro de uma campanha mundial de plantio desses elementos essenciais para a cadeia da vida.  Uma das mensagens desses seres do reino vegetal à humanidade é:  “Enquanto o sol brilhar, e a vida depender da água, nosso trabalho será fundamental”.

     O livro apresenta cada árvore que deu seu recado, com fotografia e a mensagem. Dorothy Maclean – autora do livro – tem uma capacidade abençoada de ouvir as árvores e passa para o leitor as palavras de cada espécie: amendoeira, cipreste, carvalho, cedros, faias, freixos, limoeiro, macieira, oliveira, palmeira, pinheiro e sequóias, entre outras. É claro que o primeiro recado que fui conferir foi da árvore correspondente ao meu dia de nascimento, o salgueiro chorão:

     “…os seres humanos interferem como se nossos resultados pertencessem a eles, e enquanto vocês pensarem assim haverá cisão entre nossos dois mundos. Quando reconhecerem a grande e silenciosa Fonte de vocês, que é a mesma de todos, então tudo vai se encaixar, e o salgueiro, ou chorão, será perfeito no lugar perfeito, em toda parte”.

     Os recados são belos e todos celebram a fraternidade entre Deus, os seres humanos e a natureza. O recado da palmeira é um deles:

     “Somos modelo de uma estabilidade benevolente que exerce grande influência sobre os seres humanos. Foi, portanto, uma elevada estima por nós que  fez os cristãos elegerem nossos ramos para homenagear Jesus. Como todo reino vegetal, curvamo-nos em homenagem ao Deus que vive nos seres humanos. Compartilhamos co vocês os nossos poderes divinos e continuamos a servir o crescimento, que é o processo da vida. Nós o fazemos em paz, serenas, vistosas e dignas”.

     E, por último, a mensagem do poderoso carvalho:

     “A humanidade perderá seu domínio sobre a Terra, perderá a si mesma, a menos que os carvalhos permaneçam vivos”.

     Dorothy Maclean abre uma porta de comunicação entre os humanos e os outros seres com os quais convivemos, no mundo natural. Após a leitura deste livro, ninguém consegue mais caminhar por uma floresta ou pelo campo sem ouvir ou se ligar à presença viva das árvores. Para que o nosso mundo possa voltar a ser inteiro e vital, precisamos honrar as vozes dessas criaturas.

     Como sabemos, o aquecimento global afeta toda a forma de vida, nosso presente e o nosso futuro na Terra. As conseqüências previstas são: aumento da intensidade dos furacões, surgimento de tornados; derretimento das geleiras, aumento do nível dos oceanos, inundações; extinção de espécies; colapso da Amazônia ou “savanização” da floresta; mais secas: rios perenes devem desaparecer; falta de água: em 20 anos, 60% da população mundial sofrerá algum tipo de carência de água; mais chuvas pesadas, mais destruição; clima irregular, impossível de se prever estiagem; queda de 25% na produção agrícola, quebra das safras, redução na produção de leite e ovo; falta de alimentos, fome, previsão de um acréscimo de 200 a 600 milhões de pessoas famintas em todo o mundo. O plantio de árvores, que absorvem gás carbônico e liberam vapor d’água na atmosfera, é um recurso efetivo contra o aquecimento global.
  
     A campanha “1.000.000 de arvores” propõe o plantio desse total de árvores como ajuda para amenizar os dramáticos efeitos do aquecimento global por meio da produção de mais oxigênio e da absorção do gás carbônico. Para a Organização das Nações Unidas (ONU), precisamos urgentemente de um bilhão de novas árvores, contra o desequilíbrio do clima da Terra. O plantio pode melhorar a qualidade de vida do planeta, colaborando para despoluir os ares das cidades e reduzir a temperatura média. A campanha propõe ainda divulgar histórias e informações sobre as árvores como uma forma de criar consciência ecológica e responsabilidade através da informação e educação; compensar o desmatamento e a extinção de espécies, gerando espaço para a formação de novas vidas; conscientizar o público de atitudes necessárias com relação à extração da madeira e ao consumo de papel, sub-produtos das árvores.

    Leia o livro e acesse o site.
    Aceite o chamado das árvores.
    O Planeta agradece.

 

*Comunicadora da radio Ipanema 94.9 fm

COMMENTS