Abril com Páscoa

Foi-se a Quaresma. Sei que poucos contam os quarenta dias de orações e jejum propostos pelos cristãos, em especial no dogma católico, entre a quarta-feira de cinzas e o domingo de ramos (que antecede a Páscoa), mas os monastérios que fabricavam cerveja na Europa seguiam à risca as escrituras.

 

Burgomestre, por Sady Homrich

Para esse período no qual, para redimir-se dos pecados, não podiam ingerir mais que uma refeição diária, com abstinência de carne (exceto peixe), os servos de Deus fabricavam cervejas com mais malte e, por consequência, maior teor alcoólico, para suprir as necessidades nutricionais. Desse tempo vem o termo “pão líquido” como sinônimo de cerveja. Bela desculpa!

Impossível falar em Páscoa e não lembrar de chocolate, né?  Já ouviu falar em cerveja de chocolate? O uso de maltes tostados ajuda a simular seu aroma e sabor. A cerveja artesanal, em constante busca de personalidade, agrega ingredientes para abrir o leque de sabores e aromas em estilos inovadores e provocativos. Um dos mais usados é o cacau: em pó, em nibs (sementes em pedaços, tostadas) e o próprio chocolate.

A primeira que vi é de procedência inglesa, a Young’s Double Chocolate Stout (5,2% alc.) que usa o termo “Double” pois associa o malte cor chocolate com o próprio, trazendo leveza ao estilo Stout.

Aqui no Brasil, temos ótimas representantes, a começar pela Cacau IPA (6,0% alc.), criada em 2013 pela paranaense Bodebrown em colaboração com a norte-americana Stone Brewing Co. As notas de cacau são bem marcantes, o que se deve à adição de nibs em sua composição. Bem mais encorpada, a DUM Petroleum (12,0% alc.) é uma Imperial Stout com cacau belga, que fica ainda perceptível nas versões envelhecidas em barris de carvalho francês, previamente utilizados com cachaças da Porto Morretes, do litoral paranaense.

A Dado Bier (RS) levou quatro anos desenvolvendo sua Double Chocolate Stout (10,5% alc.) em parceria com a Kopenhagen, que criou uma matéria-prima única, sem leite, para satisfazer as determinações do MAPA em não ter produtos de origem animal na cerveja. O que não consigo explicar é por que não podemos produzir cervejas assim, mas podemos importá-las!

Com um aroma que lembra ovo de Páscoa, a Baden Baden Chocolate Beer (SP – 6,0% alc.) é a mais leve delas, com notas de baunilha. Todas combinam bem com sobremesas, como cheesecakes e sorvetes, e ficam lindas numa cesta de Páscoa!

COMENTÁRIOS