A vida volta a pulsar no Mercado

Reabertura

A vida volta a pulsar no Mercado

 

Com uma cerimônia reunindo autoridades, permissionários e o público, marcada pela emoção, o Mercado foi reaberto parcialmente no dia 13 de agosto, às 10h, retomando oficialmente suas atividades. Depois de 38 dias, das 110 bancas, 68 voltaram às suas funções, enquanto 29 do primeiro piso permanecem fechadas e oito, que foram totalmente destruídas ainda aguardam definições.

 

Enquanto os discursos aconteciam saudando a volta, a população já se aglomerava nos balcões das bancas fazendo compras. Um clima de emoção e alegria marcava tanto mercadeiros, como clientes. Durante a cerimônia, o prefeito Fortunati ressaltou a parceria dos permissionários, órgãos da prefeitura, governo estadual, por meio da Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e CEEE, e o apoio manifestado pelo governador do Estado Tarso Genro e pela presidente Dilma Rousseff, que contribuíram para agilizar a reabertura parcial do Mercado. A expectativa é que em 10 meses as obras sejam concluídas. A recuperação e modernização de toda a área terão o investimento de R$ 19,5 milhões do governo federal. Conforme o prefeito, uma equipe técnica trabalhará para reabrir o mais rápido possível as 29 bancas do andar térreo, enquanto é desenvolvido o projeto de recuperação que permitirá o funcionamento dos oito restaurantes do andar superior e demais estabelecimentos. “Fomos em busca não só de recursos, mas de todas as condições para que a reabertura acontecesse”, disse o prefeito, agradecendo também o esforço dos permissionários e trabalhadores, ressaltando que eles não ficaram apenas lamentando pelo que aconteceu. “A Associação dos Permissionários participou, discutiu e ajudou a buscar soluções para abrir o Mercado”. Por sua vez, o presidente da Ascomepc, Ivan Konig, registrando a alegria pelo momento, disse que todos terão “um Mercado que será bem melhor do que a gente tinha”. Desejou longa vida ao Mercado, afirmando que “as pessoas são a alma do Mercado”.

 

Música, exposição e arte na reabertura

 

A reabertura foi marcada por atrações culturais e uma bênção pelos representantes do grupo inter-religioso da Capital. A Banda Municipal de Porto Alegre recepcionou os presentes com um repertório de músicas com temática da cidade. Após a cerimônia, a atração ficou por conta do Clube do Choro. Muitas pessoas que circulavam no Mercado deixaram mensagens de apoio em um painel interativo instalado no local, que logo ficou repleto de mensagens de otimismo e solidariedade pelo trágico momento vivido pelo Mercado. A Coordenação de Memória da Secretaria Municipal da Cultura também se fez presente com uma programação artística para a primeira semana de reinauguração, da qual faz parte a exposição “Quatro Incêndios e uma Enchente: Nosso Mercado Resiste”, que registra outros sinistros ocorridos no espaço.


 

O Mercado: expectativa que volte melhor e mais seguro

 

A promessa oficial é que o velho Mercado, depois do grande susto, nesta sua reabertura parcial e, em breve, total, volte mais seguro e com mais qualidade. Várias bancas e estabelecimentos aproveitaram para reformar suas lojas, todas fiscalizadas pelo Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária. O sentimento geral de retomada era de aposta em dias bem melhores no Mercado, partilhado, inclusive, pelo prefeito da cidade.

 

“Cada um está fazendo o melhor no seu espaço, acho que nunca foram feitas tantas reformas nas bancas”, disse Tereza Anele de Lorenzo, da Banca Central, cheia de expectativa horas antes da reabertura. Apesar de muitas dificuldades, ela mostrava-se, assim como a maioria dos mercadeiros, confiante de que “tudo vai dar certo”. Com 15 funcionários, a Central estava “prontinha” para a reabertura. E, realmente, antes mesmo da cerimônia de abertura, o seu balcão já estava cheio de clientes.

 

Prevenção contra incêndio

 

“Está tudo em perfeito funcionamento”, disse o major do Corpo de Bombeiros Riomar dos Santos, após a vistoria técnica nos itens que constam no PPCI, Plano de Prevenção Contra Incêndio, executada pela Estinsul e examinado pelo Corpo de Bombeiros. Foram vistoriadas as saídas, os extintores, a iluminação de emergência, sinalização de saída e alarme. Além disso, foram substituídas as mangueiras, agora com esguichos mais regulares. E, a partir de agora, todas as bancas também estão equipadas com extintores.

 

Vigilância em Saúde

 

Em relação à Vigilância em Saúde, os consumidores podem ficar tranquilos porque também foi feita uma vistoria completa, conforme Paulo Antonio Casa Nova, coordenador da equipe de Vigilância de Alimentos da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, que destacou 10 agentes para a ação. “Vai abrir em segurança total”, disse ele, referindo-se à higienização, temperaturas, procedência e condição dos alimentos. “Foram todas (bancas) vistoriadas. A grande maioria foi pouco afetada, os próprios proprietários se esmeraram na separação dos alimentos, e as mercadorias afetadas foram inutilizadas pelos próprios mercadeiros”, disse.

 

• O vice prefeito Sebastião Melo disse que é estudada uma possibilidade de criar uma cozinha comunitária, dentro ou no entorno do Mercado, para os restaurantes que tiveram perda total no incêndio. Se isto acontecer, destacou que será importante a compreensão dos outros permissionários

 

• 68 bancas e estabelecimentos do primeiro piso foram reabertos e 29 permanecem fechadas. Oito lojas do segundo piso tiveram perda total (as bancas do U formado pelas laterais para a Av. Borges de Medeiros, Júlio de Castilhos e Praça Parobé), devendo reabrir somente quando a reforma for completa. Até o fechamento desta edição, as demais bancas do segundo piso esperavam o religamento da energia elétrica para voltar a funcionar.

 

Fotos: Letícia Garcia

COMENTÁRIOS