A grande restauração

Ainda no início dos anos 1990, o futuro vinha trazendo bons presságios para o Mercado Público. O prédio, que há tempos necessitava de uma reforma, acabou passando por uma significativa restauração. Entre uma ideia e outra, o Mercado adquiriu novos ares ao público frequentador e oportunidades aos mercadeiros, sem deixar de lado a arquitetura original do lugar.

Foto: Arquivo JM

 Um governo ia, outro vinha e o Mercado caminhava junto a essa dança das cadeiras para ser ouvido. O local passava por um processo de deterioração muito grave e necessitava da ajuda das autoridades. Infiltrações generalizadas de umidade, instalações elétricas e telefônicas condenadas, botijões de gás expostos, falta de higiene e uma série de agressões cometidas ao longo de décadas eram alguns dos problemas que assolavam o cotidiano do local. Após a visita de uma comissão organizada por Olívio Dutra, ficou claro que apenas obras de manutenção não seriam suficientes.

Zeca Moraes, na época secretário Municipal da Indústria e Comércio e membro da comissão, enxergou o Mercado além do seu valor histórico e afetivo. No livro “Mercado Público, palácio do povo”, de Rafael Guimaraens (Libretos, 2012), ele conta que o Mercadão não estava sendo aproveitado da melhor forma, principalmente por conta do abandono do segundo piso. A ideia, então, foi transferir grande parte das atividades que estavam no térreo para o andar superior.

Com a ajuda dos arquitetos Teófilo Meditsch e Otacílio Ribeiro, todos concordaram em erguer o telhado que havia no térreo e impedia a visão do segundo piso. Rapidamente, foi elaborada uma proposta de recupação do Mercado, tendo como base a nova cobertura. Nessa proposta também foram adicionadas a retirada da feira de verduras instalada nos arredores do prédio e a construção do futuro Largo Glênio Peres, com a transferência dos ônibus do terminal da Praça XV.

A obra foi orçada em R$ 6 milhões. As eleições de Tarso Genro para substituir Olívio Dutra e, posteriormente, de Raul Pont, todos do mesmo partido (PT), contribuíram para o andamento da obra. Em abril de 1997, foi realizada uma grande festa popular para marcar o reinício do Mercado, agora ainda mais fortalecido para o futuro.

COMENTÁRIOS