A famosa Banca 40 e suas delícias

TRADIÇÃO

A famosa Banca 40 e suas delícias

São 85 anos de tradição dos mais disputados sorvetes de Porto Alegre. Uma tradição que vem passando de geração em geração e que sobrevive sempre mantendo a qualidade. E, cada dia, aumentando sua clientela. Além do sorvete, também é famosa a sua salada de frutas. E, de uns tempos para cá, a banca vem agregando novidades. Igualmente saborosas.

     A banca ficou muito conhecida pela sua famosa Bomba Royal, mas hoje são quase 20 sabores oferecidos. Abacaxi, ameixa, flocos, morango, maracujá, sonho de valsa, melão, são alguns deles. E em breve entrarão outros, como o cheese cake, pêssego, frutas vermelhas, além das novidades que chegaram e conquistaram os clientes, como o sorvete de milho e outras exclusividades. “O problema é espaço, variedade de sorvete tem”, diz João Carlos Bonnel de Andrade Júnior, o gerente da banca. Ele adianta que na metade deste ano a banca vai passar por uma reforma visando, principalmente, aumentar as áreas de produção e cozinha, melhorando a distribuição interna da loja. De qualquer forma hoje o acesso está mais disciplinado. “Antes entrava todo mundo para dentro da banca, disputando mesas e colando nas pessoas que ainda nem tinham terminado de comer seus sorvetes”, explica.

 

Ingredientes de qualidade, produção impecável

     Os sabores que comandam as vendas são creme, chocolate e morango, tanto na banana split, como na Bomba Royal. Todos produzidos por um profissional do assunto com 20 anos de experiência – todos na Banca 40, Danilo Santos da Silva. Manuseando os principais ingredientes, leite, açúcar, nata, chocolate, batedeiras e outros equipamentos industriais, ele produz até 300 quilos de sorvete diários – com o extremo cuidado de controlar as temperaturas, ponto e tempos para gerar o famoso sorvete. A nata, batida com açúcar, também muito famosa, tem seus segredos, principalmente para não desandar. É muito vendida, a quilo, inclusive para fora do estado, como São Paulo e Rio de Janeiro, acondicionada em embalagens especiais. É ingrediente chave na harmonização de frutas e sorvete. A salada de frutas foi uma conseqüência natural, já que o primeiro dono da banca, Manoel Martins, também tinha uma banca de frutas. Abacaxi, pêra, morango, laranja, maçã, sorvete e nata fazem a festa do paladar tropical.

 

Novos e tradicionais produtos

     A produção é incessante, tanto do sorvete quanto da salada de frutas. Especialmente no verão, quando praticamente quase não se dá vencimento da demanda. Atraídos pela tradição e pela qualidade, centenas de clientes aguardam para saborear as delícias da banca. A rotatividade da produção é grande para atender pessoas de todas as gerações, muitos frequentadores antigos que hoje levam filhos ou netos. E todos com histórias para contar. “É uma coisa cultural, nem eu mesmo tinha noção que era assim”, diz João. Porém, é preciso agregar novidades. Hoje a banca também tem pastel de forno, quiches, sanduíches, café, torradas e, no inverno, sopas, chocolate quentes, quentão, entre outros atrativos. E sem esquecer também o famoso caldinho de frutas, o milk-shake, a banana split, os cremes papaia e de abacate. “O produto é simples e maravilhoso. E o preço, acessível. Nossa bola está a R$ 3.50, enquanto no shopping é R$ 7,00. Deu um calor, pode escrever que aqui vai estar cheio”, conclui satisfeito.

 

Foto: Fabrício Scalco

COMENTÁRIOS