“A cultura é o que subsiste quando se esquece tudo o que tinha aprendido”, Selma Angulof

BANCA DA CULTURA

“A cultura é o que subsiste quando se esquece tudo o que tinha aprendido”, Selma Angulof

Por Emilio Chagas

 

 

       Literatura também é aventura

       Mostrando uma linha editorial bem diversificada a editora Artes & Ofícios lançou o livro “Sonhos Verticais, Escaladas ao Cho Oyu e Everest”, de Manoel Morgado. Médico gaúcho, sua casa há 20 anos são os cinco continentes. Normalmente viaja por 10 países durante o ano, passando boa parte das suas noites em barraca nas grandes montanhas do mundo. Neste livro, em tom confessional, Manoel narra vivências à frente de um grupo de brasileiros e estrangeiros rumo ao topo do Everest, retomando também outras memórias, como a de escaladas anteriores, em especial ao Cho Oyu. Diz Maristela Bairros, jornalista: “Divide, ao descrever sua rotina, suas alegrias, temores, expectativas, reencontros e descobertas de paisagens, e até questionamentos interiores.”

 

 

        “Milonga em Blue”, novo CD de Oly Jr.

       Depois de abocanhar três prêmios Açorianos em 2010, Oly Jr está com novo CD, que promete o repetir o feito. Veja o que disse dele o Arthur de Faria, com toda sua autoridade como um dos mais respeitáveis músicos do Rio Grande: “Posso estar enganado. Tomara que não. O fato é que, como eu esperava, “Milonga em Blue – Notas do Delta”, o disco novo do Oly Jr. e os Tocaios é um disco histórico. Tá sen-sa-cio-nal. Não paro de ouvir. Mas ok, sou suspeito porque botei meus pitacos em duas músicas (me fiz de gaiteiro milongueiro, mas felizmente noutras faixas tem o Paulinho Cardoso pra mostrar como se faz, rererere.Pra quem não sabe, o cara gravou só milongas do Bebeto Alves, do Vitor Ramil e desse outro fodalhão que é o Mauro Moraes. Só pérolas, e, efetivamente, em versões que invariavelmente acrescentam MUITO aos originais (não necessariamente melhores, certamente não piores, bastante originais).Ouçam, espalhem. Vamo fazer história juntos.

 

 

       Porto Alegre, quem diria?

       Uma simpática, pequena e curiosa publicação, da Quem Diria Conteúdo Independente, tendo como autora a jornalista Cláudia Aragón, mostra a cidade por aspectos pouco conhecidos e até surpreendentes. Cláudia vem se dedicando há alguns anos no levantamento e pesquisas de endereços curiosos da cidade. “É só abrir as páginas para saber, por exemplo, onde encontrar um supermercado de flores, como comprar sorvete de butiá, onde funciona um cinema com lareira”, escreve Cláudia. E por aí vai. O livro foi lançado em versão impressa, em forma de pocket-book para levar no bolso & bolsas, durante as comemorações dos 240 anos da cidade e tem distribuição gratuita. Interessados contatar os fones: 3085.7990 – 0603.9232.

COMENTÁRIOS