A alimentação como atitude ecológica

A alimentação como atitude ecológica

 

Único restaurante vegetariano no Mercado Público e um dos mais procurados no centro da cidade, o Telúrico tem na sua dona, Márcia Mascarello, uma árdua defensora das questões ecológicas, que vão muito além da alimentação.  Diariamente ela tem contato com pessoas que se enquadram neste perfil, aliás, em número crescente.

 

“A pessoa que come produtos orgânicos também cuida de uma série de outras questões – tem outro trato com o que come, com o que veste, o que usa. Por exemplo, procura usar  sacolas ecológicas, de pano, algodão e não de plástico”, diz ela. Quer dizer, na sua visão, a questão é muito mais ampla, envolvendo atitude e consciência com o meio ambiente. Reciclar o lixo de forma correta, para reaproveitamento, coletar água da chuva, usar a água tratada de forma correta, cuidado com as pilhas e materiais tóxicos e tudo o que possa agredir o meio-ambiente, são algumas características desta postura. “Fazer a cultura ecológica é uma coisa muito mais ampla, que se expande no dia-a-dia, não só na hora de comer”, diz Márcia.  Para ela isso é uma forma de estar em parceria com o meio-ambiente e é importante também passar estas informações para outras pessoas, fazer um trabalho constante de conscientização.

Neste contexto, a alimentação é mais um item, igualmente importante. Como ela diz, a alimentação orgânica por si só já traduz do que se trata: é tudo o que não é produzido com fertilizantes e agrotóxicos. “É um alimento que só existe na safra, só sai desse ciclo quando entram outros alimentos”, diz ela, acrescentando que os (alimentos) que não são do “ano inteiro” geralmente não são ecológicos porque são feitos em estufa ou produzidos com agrotóxicos. “São bonitos, maiores, boa aparência, mas sem qualidade”, afirma. Além dos alimentos com agrotóxicos, que eliminam microorganismos e causam doenças como alergia e problemas respiratórios, aconselha a evitar enlatados.

 

Uma alimentação natural

Enfatizando que quem pensa no ecológico pensa também em seus aspectos no seu dia a dia, Márcia afirma que os produtos ecológicos são menores em tamanho e quantidade porque não possuem hormônios de crescimento. Diz: “Até o manejo é diferente com os alimentos sem agrotóxico, sem máquina na lavoura para não contaminar o solo (e a água) com dióxido de carbono. A colheita feita à mão, diretamente para o consumidor”. O Telúrico é muito procurado por vegetarianos e veganos, estes últimos os que não consomem carne (e produtos) de nenhum tipo de animal. O restaurante é um misto destes dois tipos de público, informa ela.  “Comendo certo e com critérios é possível evitar a maioria das doenças, como hipertensão, diabetes e problemas de sobrepeso”, diz ela. E para radicalizar, fazer uma desintoxicação completa do organismo de três a sete dias, sugere uma dieta de arroz cateto, um cereal imbatível neste caso.

COMENTÁRIOS