Débora Secco (atriz)
Está gostando do Mercado? Prazer estar aqui, a receptividade e qualidade daqui, tudo é maravilhoso. Já olhei bastante coisa, comprei uns frios ótimos, e mais umas coisinhas que eu quero comprar.
Coisas do Sul? Isto ainda não consegui, me adaptar, tento “beber” o chimarrão, a erva, o mate, mas não dá, é ruim demais, viu? (risos) Fiz uma novela aqui, tentei aprender, mas é difícil! (risos)
Almoçou o que no Gambrinus? Almocei arroz, feijão, batata, farofa e carne! Gostei muito, maravilhoso.
Está gostando do pessoal daqui? Muito. O carinho, não tem nem como agradecer.

 

 

 

 

 

João Roberto (professor aposentado)

Vim de Natal, Rio Grande do Norte, há uns 25 anos, trabalho com artesanato. Lá tem um mercado antigo, restaurado há pouco tempo. É um ponto de atração, onde a gente compra os mais variados gêneros, com opções de artesanato, de shows. Outro dia o Gaúcho da Fronteira fez show lá, meu irmão botou o telefone na janela para eu ouvir. Freqüento aqui diariamente, compro frutas do nordeste. O mercado aqui de Porto Alegre é uma referência nacional.

 

 

 

 

 

 

Mônica Wendt (química)
Venho ao Mercado, mas não tanto quanto gostaria, devido ao horário, trabalho em Canoas, quando chego já está fechando. Tem que vim no sábado mesmo, com tempo e mais calma. Gosto aqui do café, do Gambrinus. Pena em volta do Mercado que é um pouco deteriorada, acho que isto afasta as pessoas. Eu morei fora do estado, quando vinha aqui sempre passava no Mercado, para levar coisas daqui, uma cuia, sempre tem uma coisa legal.

 

 

 

 

 

Juliana Pinto

Costumamos comprar bacon, queijo, a gente acha os preços mais baratos que nos supermercados.
Marcos Tapuani: Mais barato e melhor.
Juliana: Seria bom vim outro dia para comprar coisas também para fazer feijoada, que aqui no Mercado são muito melhores.
Marcos: Aqui tem tudo, ca­tupiry, champignon, presunto, tomate secos, azeitonas, tudo.
Juliana: A gente vem pelo preço e qualidade.

 

 

 

Maria (Espanha): Estamos num congresso.
Rebeca (México): Em Santa Maria, agora vamos para São Paulo.
Maria: Viemos ao Mercado porque um companheiro do Uruguai disse que era o que tinha de mais bonito em Porto Alegre.
Rebeca: No México também tem um mercado, uma construção muito bonita e original, que conserva a tradição, tem mais de 100 anos. Vendem comida, frutas, verduras, carnes, artesanato de muitos países. Tem restaurantes também.
Maria: Em Barcelona também tem um mercado muito grande, antigo, mais de um século. Mas não se come dentro dele, só fora. Dentro se vende carne, frutas, pescados. Não, não é cultural, é solamente comercial. Somos professoras.

COMENTÁRIOS