10º Festival Brasileiro de Cervejas

Passei quase toda semana passada em Blumenau/SC, participando como jurado do 6º Concurso Brasileiro de Cervejas e do 10º Festival Brasileiro da Cerveja. Desde a primeira edição do Festival, sempre me mantenho atualizado com as novidades que passam nesse que hoje é o terceiro maior festival com concurso do planeta, apenas atrás do Great American Beer Festival e do World Beer Cup, ambos nos Estados Unidos.

 

BURGOMESTRE, por Sady Homrich

Venho testemunhando o crescimento da cerveja artesanal brasileira em tamanho e em qualidade, que chegou a quase 2.900 amostras, avaliadas por 83 jurados de mais de 20 países. Isso realmente é um evento cervejeiro de grande porte e é uma oportunidade muito grande para aprendizado para os jurados brasileiros, dividindo a mesa com essas feras do júri mundial de cerveja.

Os estrangeiros ficaram muito impressionados positivamente pelo estilo autodenominado Catharina Sour, uma versão criada pelos cervejeiros catarinenses que lembra uma Berliner Weisse com frutas, um pouco mais encorpada. E se impressionaram negativamente com a quantidade de rótulos brasileiros que sofrem com a pasteurização — isso fica bem evidente quando se faz uma avaliação mais criteriosa.

Ao contrário das edições anteriores do concurso, os off flavours decorrentes de contaminação não estavam presentes, porém algumas técnicas parecem não estar sobre o domínio dos cervejeiros. Também a inscrição em estilo equivocado acabou prejudicando diversas cervejas de qualidade.

Além disso, a Feira Brasileira da Cerveja teve um grande crescimento, mostrando o que há de novo em equipamentos e matéria-prima no mercado.

A organização do concurso foi muito elogiada, liderada por Amanda Reitenbach e a equipe Science of Beer, além de voluntários da Acerva SC. O festival transcorreu sem percalços, com um público entre 15 e 20% a menos que o ano anterior, até a noite de sábado, quando uma pane do sistema de cobrança acabou por prejudicar algumas cervejarias.

Ah, infelizmente a Cervejaria do Ano, Cathedral, de Maringá/PR, não estava com estande no evento. Perdemos nós e eles…

Segue quadro com os resultados de Cervejaria do Ano e Best of Show.

 

Cervejaria do Ano

1ª Cervejaria Cathedral (PR)

2ª Cervejaria Bodebrown (PR)

3ª Cervejaria Tupiniquim (RS)

 

Best of Show Comercial

1º Dádiva Dark Sour (SP) — Ale Styles — Belgian — Style Flanders Oud Bruin or Oud Red Ale

2º Lohn Bier Carvoeira Pimenta (SC) — Hybrid/Mixed — Chili Pepper Beer

3º Capa Preta Porter Berry (MG) — Hybrid/Mixed — American — Style Fruit Beer

 

Best of Show Experimental

1º Istepô Goiabêra (SC) — Ale Styles — Brazilian Beer — Catharina Sour

2º Backer Cacau Bomb (MG) — Hybrid/Mixed — Specialty Beer

3º Brahma Heller Bock (RJ) — Lager Styles — German-Style Heller Bock/Maibock

 

As cervejarias gaúchas conquistaram 50 medalhas! Segue a lista completa com os rótulos para você procurar: goo.gl/1uz8Mv.

 

 

COMENTÁRIOS